Sucesso

PF abre inquérito para investigar secretário de Comunicação de Bolsonaro, Fábio Wajngarten

Empresa de Wajngarten tem contratos com emissoras e agências de publicidade que, ao mesmo tempo, mantêm contratos com o governo. Secret√°rio nega irregularidades; [...]

Por PortalTX em 05/02/2020 às 11:24:24

Empresa de Wajngarten tem contratos com emissoras e agências de publicidade que, ao mesmo tempo, mantêm contratos com o governo. Secret√°rio nega irregularidades; caso foi revelado pela 'Folha de S.Paulo'. Secret√°rio de Comunica√ß√£o Social da Presidência da República, F√°bio Wajngarten

Anderson Riedel/PR

A Polícia Federal abriu inquérito para investigar supostas irregularidades cometidas pelo secret√°rio de Comunica√ß√£o Social da Presidência da República, F√°bio Wajngarten.

O inquérito, que vai correr sob sigilo, foi aberto na Superintendência da Polícia Federal na última sexta-feira (31). A informa√ß√£o, publicada pelo jornal "Folha de S.Paulo" e confirmada pela TV Globo, é de que o pedido foi feito pelo procurador Frederick Lustoza, do Ministério Público Federal (MPF) em Brasília.

O objetivo, segundo o procurador, é investigar indícios de corrup√ß√£o, peculato (apropria√ß√£o de recursos públicos) e advocacia administrativa, que é quando o gestor usa cargo público para defender interesses privados.

Em nota (veja íntegra abaixo), Wajngarten afirmou que a abertura de inquérito é "mais um passo na rotina do processo de investiga√ß√£o", e que ter√° oportunidade de provar que n√£o cometeu qualquer irregularidade.

"Como ser√° comprovado, n√£o h√° qualquer rela√ß√£o entre a libera√ß√£o de verbas publicit√°rias do governo e os contratos da empresa FW Comunica√ß√£o – da qual me afastei conforme a legisla√ß√£o determina – que s√£o anteriores à minha nomea√ß√£o para o cargo, como pode ser atestado em cartório", diz.

Desde janeiro, a "Folha" vem publicando reportagens que apontam possível conflito de interesses envolvendo o secret√°rio de Comunica√ß√£o. F√°bio Wajngarten tem uma empresa de mídia que presta servi√ßos a emissoras de TV e agências de publicidade.

Essas empresas que contratam a firma de Wajngarten, segundo as reportagens, também têm contratos com a Secretaria de Comunica√ß√£o. Wajngarten foi nomeado para o cargo em abril do ano passado.

A "Folha" diz também que Wajngarten omitiu informa√ß√Ķes sobre a empresa à Comiss√£o de Ética Pública da Presidência da República.

Ao assumir o cargo, segundo o jornal, ele afirmou ao colegiado que n√£o tinha exercido, nos 12 meses anteriores, atividades em "√°rea ou matéria afins às atribui√ß√Ķes públicas, que possam gerar conflito de interesses." O documento foi obtido e divulgado pela "Folha".

O que diz o citado

"A abertura de inquérito pela Polícia Federal é mais um passo na rotina do processo de investiga√ß√£o solicitado pelo Ministério Público Federal do Distrito Federal em 28 de janeiro passado.

Ser√° a oportunidade que terei para provar que n√£o cometi qualquer irregularidade na minha gest√£o à frente da Secretaria Especial de Comunica√ß√£o da Presidência da República (Secom) desde abril do ano passado.

Como ser√° comprovado, n√£o h√° qualquer rela√ß√£o entre a libera√ß√£o de verbas publicit√°rias do governo e os contratos da empresa FW Comunica√ß√£o – da qual me afastei conforme a legisla√ß√£o determina – que s√£o anteriores à minha nomea√ß√£o para o cargo, como pode ser atestado em cartório.

Tenho um nome a zelar, um trabalho de mais de 20 anos no mercado, o seu respeito e reconhecimento.

Confio no trabalho da Polícia Federal e na decis√£o do Ministério Público Federal do Distrito Federal."

Fonte: G1

Tags:   G1

Coment√°rios