Pombal

Sem defini√ß√£o, Sa√ļde e governadores adiam reuni√£o sobre vacina√ß√£o

Por PortalTX em 12/01/2021 às 07:19:35

Sem uma data fechada para o início da vacina√ß√£o contra a Covid-19, a reuni√£o do Ministério da Saúde e dos governadores, que aconteceria nesta ter√ßa-feira, 12, foi adiada para a próxima semana. O chefe da pasta, Eduardo Pazuello, mantém a esperan√ßa da imuniza√ß√£o contra a doen√ßa come√ßar no dia 20, enquanto as autoridades estaduais trabalham com prazo maior para início da vacina√ß√£o, com planejamento do dia 22 ao dia 27 deste mês. No entanto, o ministro da saúde, assim como o governador do Piauí, Wellington Dias, admite que sem, pelo menos, o registro emergencial da Anvisa fica difícil falar em datas. “n√£o fazia sentido realizar uma agenda para remarcar outra. Era importante mesmo que pudéssemos adiar, dando condi√ß√Ķes de uma data, uma data que fazemos agenda e temos aquilo que é o mais esperado, data da vacina√ß√£o. Dependemos dela para todo o cronograma do plano estratégico nacional de imuniza√ß√£o”, afirmou. Enquanto isso, a agência reguladora informou nesta segunda-feira que o Instituto Butantan e a Fiocruz ainda devem apresentar alguns documentos necess√°rios para an√°lise.

Ainda nesta segunda-feira, Eduardo Pazuello esteve em Manaus. Ele lembrou que a vacina√ß√£o ser√° a mesma das outras campanhas. Por isso, o ministro acredita que, assim que o governo tiver a libera√ß√£o das doses, a campanha poder√° come√ßar em dois ou três dias. “Todos os estados receber√£o simut√Ęneamente as vacinas, no mesmo dia. A vacina vai come√ßar no dia "D", na hora H”, disse. Diante do pequeno número de doses que estar√£o disponíveis no Brasil, nesse primeiro momento, o ministro falou sobre a possibilidade, no caso da vacina da AstraZeneca, utilizar o imunizante em dose única. “Com duas doses você vai a 90 e tantos porcento, com uma dose vai a 71%. 71% talvez a gente entre para imuniza√ß√£o em massa, é uma estratégia, para reduzir a pandemia.”

A ideia, no entanto, é vista com preocupa√ß√£o pelos especialistas como Ana Karolina Marinho da Associa√ß√£o Brasileira de Alergia e Imunologia . De acordo com ela, nesse momento, o mais seguro é seguir o protocolo recomendado pelos laboratórios. “O ideal é vacinar com o que foi programa, com o que os estudos foram projetados. A efic√°cia que temos dos estudos s√£o, justamente, relacionadas a duas doses da maioria das vacinas que nós temos”, diz. Eduardo Pazuello defendeu a necessidade do uso de m√°scara e durante todo o pronunciamento no Amazonas permaneceu com a prote√ß√£o. Segundo ele, o objetivo era dar exemplo.

*Com informa√ß√Ķes da repórter Luciana Verdolin

Fonte: JP

Comunicar erro

Coment√°rios